Como montar uma empresa de produção de conteúdo para redes sociais?

3 Curtidas Comentar
Como montar uma empresa de produção de conteúdo para redes sociais?

Como montar uma empresa de produção de conteúdo para redes sociais? Você já se perguntou como montar uma produtora de conteúdo para redes sociais? Nos últimos anos, a internet evoluiu para um espaço não apenas de entretenimento, mas também de divulgação de bens e serviços. No entanto, recentemente se transformou em um ambiente de trabalho para muitos profissionais, inclusive aqueles que produzem conteúdo para redes sociais.

E, ao contrário do que se pensa, quem trabalha nesse novo nicho de mercado pode formalizar seu negócio. Você quer saber como fazê-lo? Continue lendo este artigo para saber como montar uma produtora de conteúdo para redes sociais. 

 

A MEI é uma produtora de conteúdo – Como montar uma empresa de produção de conteúdo para redes sociais:

 

No momento, os novos empreendedores, inclusive os de segmentos relacionados à internet, optam por formalizar seus negócios na categoria MEI, que significa microempreendedor individualmente. Esta opção tem uma série de benefícios.

Saiba como iniciar um negócio de Prestadora de Serviços neste artigo.

 

A primeira é que, abrir uma empresa como o MEI e obter o CNPJ é bastante simples. Para começar, basta acessar o Portal do Empreendedor e seguir as instruções. Todo o procedimento leva apenas alguns minutos.

 

Quem cria conteúdo para redes sociais se enquadra na categoria de prestadores de serviço e deve pagar uma mensalidade de cerca de R$ 50,00. Este valor refere-se a recolhimentos de INSS e outras taxas e impostos, como o ISS (imposto sobre serviços).

 

São, de fato, valores simbólicos, pois são muito inferiores ao que seria pago por um negócio tradicional. No entanto, existem alguns requisitos para se tornar um MEI, como ter um lucro de até R$ 81 milhões e contratar no máximo uma pessoa com cartão.

 

Uma pessoa que opta pelo MEI, não pode trabalhar para outra empresa. De qualquer forma, trata-se de limitações que não costumam afetar quem trabalha na indústria de produção de conteúdo para redes sociais.

 

Além disso, o MEI tem uma série de vantagens, incluindo aposentadoria, auxílio-doença, licença maternidade e muito mais. Também é possível emitir nota fiscal, embora seja necessária apenas quando se trata de negócios. Ou, em outras palavras, se seus clientes são ricos, isso não é necessário.

 

No entanto, caso esses clientes necessitem de nota fiscal, é possível fornecê-la, mesmo que sejam clientes MEI. E se você começar a lucrar mais no futuro, tudo o que você precisa fazer é mudar seu modelo de negócios, o que exige a contratação de um contador para ajudar na burocracia.

 

Quer saber mais sobre, e aprenda a como montar uma empresa de produção de conteúdo, com vínculo nas redes sociais:

 

Marketing de conteúdo é um termo usado para descrever o processo de promoção de um material escrito.

 

Classificações estatísticas de todo o mundo

 

O Simples Nacional é um formulário simplificado para quem está iniciando um negócio como micro ou pequeno negócio. Se você tem mais peso do que o necessário para ser MEI, pode optar pelo Simples Nacional.

 

Como resultado, se você não tiver nenhum sócio, precisará se registrar como empresário individual (EI) ou empresário com responsabilidade limitada (EIRELI). Por outro lado, aqueles com ativos devem optar por um modelo de sociedade de responsabilidade limitada (LTDA).

 

Com isso, você pagará os impostos de forma mais direta, com valor superior ao MEI. No entanto, em comparação com outras EI e EIRELI que não optam pelo Simples Nacional, é menos oneroso e burocrático.

 

A questão é que todos os impostos devem ser pagos da mesma forma, auxiliando, por exemplo, na gestão fiscal e financeira, resultando em um custo menor para o seu negócio. Além disso, quem opta por este regime tributável beneficia de isenções fiscais.

 

Simples Nacional

 

Quem não quiser aderir ao Simples Nacional poderá optar entre os regimes tributáveis ​​Lucro Presumido e Lucro Real. Em geral, se os microempreendedores não querem o Simples Nacional, optam pelo Lucro Presumido.

 

Dessa forma, o governo determina o valor dos impostos a serem pagos. Já no Lucro Real, o lucro exato da empresa é utilizado para estimar as cotas para pagamento do imposto.

 

Muitas empresas optam por fazer negócios com o Simples Nacional por causa das conveniências que ele proporciona. No entanto, nem sempre essa é a melhor opção, pois é necessário avaliar diversas informações financeiras da empresa para dar uma resposta assertiva.

 

É uma decisão complicada, e o contador é a melhor pessoa para ajudá-la. Por isso, ao iniciar um negócio como microempreendedor, procure um profissional de confiança e com experiência no atendimento a esse tipo de clientela.

 

 

Acesse o nosso blog e visite os links listados abaixo:

Você Pode Gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.