Você administra algum grupo do WhatsApp

5 Curtidas Comentar
Você administra algum grupo do WhatsApp

Você administra algum grupo do WhatsApp. É hora de se preocupar se você administra grupos do WhatsApp onde o bullying é predominante e apenas os infratores são responsabilizados? O sistema de justiça brasileiro está agora examinando administradores por atos ilícitos cometidos por outros.

 

Por outro lado, especialistas ouvidos pelo UOL Tecnologia acreditam que os administradores precisam reorientar sua atenção para as questões em questão. Outros veem isso como uma tentativa do Departamento de Justiça de educar os usuários da plataforma digital, o que pode levar os administradores a se tornarem “censores da liberdade de expressão”.

 

Todo o procedimento de grupos escolares e industriais – Você administra algum grupo do WhatsApp:

 

O caso deste mês envolve um gerente de um grupo de WhatsApp que foi condenado a pagar R$ 3.000 a membros xingados por outros durante uma conversa. O grupo “Gigi’s House” foi formado em 2014 quando ela tinha 15 anos.

 

Alguns garotos começaram a lançar insultos homofóbicos em três dos membros da equipe. Durante a discussão, a jovem saiu do grupo, depois voltou e formou outro. As Ofensas também continuaram por lá. “Não há provas de que a apelada tenha, de fato, ofendido diretamente os apelantes”, escreveu o desembargador Soares Levada.

 

Um adolescente não seria obrigado a atuar como moderador de discussão, de acordo com ele. Detratores não foram excluídos pelo administrador, segundo ele.

 

Ela também enviou um emoji de risada em resposta a uma mensagem, apesar de seus melhores esforços para minimizar a ofensa, portanto, atribui as ações da jovem ao artigo 186 do Código Civil: “… Vitimiza direitos alheios e causa danos a outros, mesmo que apenas moralmente. Além disso, ela tinha 15 anos na época da decisão. Seria pior se ela tinha mais de 18 anos. No Rio de Janeiro, médicos e enfermeiras usavam o WhatsApp para trocar plantas, eventualmente envolvendo dinheiro. Sessões de trabalho prolongadas estavam sendo vendidas por até R$ 2.000, o que é considerado por muitos uma fraude.

Para apurar se as transações violavam a ética médica, o caso foi encaminhado ao Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj). Não são apenas os compradores e vendedores de plantas que enfrentam escrutínio, mas também o gerente do grupo.

 

Grande poder, grande responsabilidade

A advogada especialista em direito digital, Patrícia Peck Pinheiro, explica que o judiciário brasileiro está adotando a posição de que as relações nas redes sociais devem ser pautadas na boa-fé e que os usuários devem tentar mitigar os danos mesmo que não participem da ação. .

 

“A maioria das pessoas não entende a responsabilidade de ser um administrador”, diz ela.

 

Na maioria dos casos, um administrador tem poder para gerenciar uma situação. Os recursos da ferramenta podem ser usados ​​para resolver conflitos, como deletar mensagens ou remover participantes, caso algo já esteja acontecendo.

 

O advogado de Rubia Ferro concorda. “Um de nossos administradores está por perto, monitorando cada postagem”, disse ela. Se houver alguma conduta ilegítima no grupo, cabe a ele acabar com isso.”

 

Os dois acreditam que a responsabilização administrativa deve se tornar uma tendência no judiciário, visto que os tribunais brasileiros costumam penalizar os usuários por interações típicas da internet para fins pedagógicos. O juiz não condenou ninguém por apenas compartilhar conteúdo, lembra Ferro.

 

Acredita-se que o compartilhador não é o culpado. Na verdade, os meios de comunicação têm dito que compartilhar conteúdo é arriscado”, ela diz “É uma tentativa de mostrar à sociedade que existem limites”.

Censura? – Você administra algum grupo do WhatsApp:

 

A decisão de cercar os administradores do grupo preocupa o advogado digital Pedro Ramos. O risco para a indústria e os usuários da inovação é um precedente perigoso.

“Dar obrigações para quem está usando apenas um recurso de um aplicativo é a principal preocupação. Não é um título oficial conferido por lei a alguém que tem mais obrigações do que outros.

“De acordo com o Código Civil da Internet, os moderadores serão punidos mais severamente do que os provedores de serviços.”

“Isso inibe o lado colaborativo da Internet”, diz ele.

 

E agora?

 

Os administradores devem ser policiados. Nas palavras de Peck Pinheiro, “devem ser sábios”. “Se ocorrer uma ação ilegal dentro de um aplicativo, devo me opor, denunciar e impedir que funcione.”

Terei que ficar atento a comentários racistas, discriminatórios e difamatórios, bem como imagens e vídeos pornográficos.

“Mas nossa Constituição diz que um direito não se sobrepõe a outro. Seu direito à liberdade de expressão é limitado. Mas não há liberdade para ofender” Rubia diz

Chegaram novas ferramentas do WhatsApp para administradores. É ótimo para grupos que desejam apenas fornecer avisos.

 

Acesse o nosso blog e visite os links abaixo:

Você Pode Gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.