Como investir no Brasil e por quê

3 Curtidas comments off
Como investir no Brasil e por quê

Como investir no Brasil. O Brasil é uma nação que está mudando. Tem um PIB de US $ 1,363 trilhão, colocando-o como a décima segunda maior economia do mundo a partir dos dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) do final de 2020, mas ainda está se recuperando de uma recessão desastrosa que foi alimentada pela imprevisibilidade política, alto desemprego , e inflação, sem mencionar os efeitos persistentes da pandemia global de COVID-19.

O crescimento econômico brasileiro deve cair cerca de 3,7% em 2021, segundo o FMI. O presidente Jair Bolsonaro priorizou a reforma da Previdência após sua eleição em 2018, mas em 2019, a consultoria Kearney retirou o Brasil de sua lista das 25 nações mais confiáveis ​​para investimentos estrangeiros, na qual estava desde a criação do ranking em 1998. Mas em 2020, ele foi adicionado de volta ao índice.

A consultoria Deloitte informa que o investimento estrangeiro no Brasil caiu drasticamente em 23% de 2014 a 2015, no auge da recessão do país. Ele subiu marginalmente em 2016, mas depois caiu mais uma vez em 2017. Então, as coisas começaram a melhorar e os investimentos vêm aumentando consistentemente desde 2018, embora ainda estejam muito abaixo do pico recente de US $ 101,2 bilhões em 2011, e testemunharam um declínio acentuado em 2020 em relação a 2019 por causa da pandemia global.

Benefícios de investir no Brasil

O Brasil é mais arriscado do que os mercados estabelecidos devido à imprevisibilidade política e à dependência de commodities, portanto, investir nele envolve um trade-off entre risco e lucro, como a maioria dos mercados em desenvolvimento. O Brasil é bem conhecido pelos investidores estrangeiros por seus abundantes recursos naturais. De acordo com o Observatório da Complexidade Econômica (OEC), a soja representa cerca de 14% de todas as exportações do Brasil, totalizando US$ 33,2 bilhões em setembro de 2020. Além de ter enormes depósitos de petróleo offshore, o país também exporta US$ 20,5 bilhões em minério de ferro e mais etanol do que toda a Ásia e Europa juntas. É o segundo maior produtor de minério de ferro do mundo, depois da Austrália.

Com a ajuda desses recursos, é capaz de produzir uma ampla gama de bens industriais e de consumo com orçamento limitado e também é um importante fornecedor de matérias-primas para nações como China, Estados Unidos e Argentina, que são seus três principais produtos de exportação. mercados. As exportações brasileiras para a China somam US$ 64,3 bilhões, com os EUA e a Argentina muito atrás, com US$ 29,3 bilhões e US$ 15 bilhões, respectivamente. dois

A economia do Brasil também é bastante estável. O Brasil se tornou uma das principais economias do mundo, com um setor de tecnologia em expansão e um foco doméstico que deve diminuir a dependência de commodities depois de tomar medidas em direção à estabilidade fiscal e liberalizar sua economia na década de 1990.

Riscos de investir no Brasil

A imprevisibilidade política do Brasil é um dos principais perigos de investir lá; o país tem uma história de imprevisibilidade política que continua até hoje. Numerosos funcionários estavam ligados a atividades ilegais em 2015 e 2016 que envolveram a empresa petrolífera parcialmente estatal Petrobras.

Essas polêmicas resultaram no impeachment de Dilma Rousseff e posterior condenação em agosto de 2016. Devido às sanções impostas às empresas envolvidas nesses escândalos, algumas de suas chances comerciais foram reduzidas, o que criou aberturas para empresas estrangeiras ingressarem e continuarem de onde pararam. 3

Embora dependa muito de financiamento externo, o Brasil também depende mais das exportações do que nações industrializadas como os EUA. A economia é impactada pela queda das commodities como resultado.

 

 

melhores métodos de investimento

Desde ações listadas em sua própria bolsa de valores, a Brasil Bolsa Balco SA, até fundos negociados em bolsa (ETFs) com listagem nos EUA, o Brasil oferece uma variedade de oportunidades de investimento (B3). A abordagem mais simples para aumentar a exposição é através de quatro ETFs. Os ETFs brasileiros típicos são:

  • iShares MSCI Brazil Index ETF (NYSE: EWZ)
  • VanEck Vectors Brazil Small Cap Index ETF (NYSE: BRF)
  • Global X Brazil Consumer ETF (NYSE: BRAQ)

A compra de American Depository Receipts (ADRs), que são cotados em dólares e negociados nas bolsas de valores norte-americanas, mas que representam ações de empresas estrangeiras, é outra forma de investir em ações brasileiras. Os ADRs mais usados ​​no Brasil incluem:

  • Petróleo Brasileiro SA ADR (NYSE: PBR)
  • Vale SA ADR (NYSE: VALE)
  • Itaú Unibanco Holding SA ADR (NYSE: ITUB)

Os títulos brasileiros estão imediatamente disponíveis para compra por investidores estrangeiros que desejam exposição direta por meio de diversas plataformas internacionais de negociação com acesso à B3. Quem deseja fazer investimentos diretos deve se registrar no Banco Central do Brasil, bem como em outros órgãos reguladores e fiscais, e contratar empresas locais para atuar como custodiante nas contas de corretagem.

A linha inferior

Qualquer investidor seria sábio em diversificar suas participações, e a compra de ações estrangeiras é um dos métodos mais eficazes para conseguir isso. O Brasil é um país que muitos potenciais investidores estão interessados ​​devido à sua economia em expansão que está emergindo de uma recessão. Antes de fazer um investimento em uma empresa brasileira, é fundamental avaliar a situação política do país e as perspectivas de seu setor exportador.

Você Pode Gostar

Sobre o Autor: Avitrini