Conheça 8 tipos de investidores em startups

4 Curtidas Comentar
Conheça 8 tipos de investidores em startups

Conheça 8 tipos de investidores em startups. Muitos empreendedores procuram vários tipos de investidores para injetar fundos em suas empresas, seja para tirar uma ideia do papel, acelerar o crescimento ou expandir uma empresa. Isso é fundamental, mas alguns indivíduos cometem o erro de buscar investimentos incompatíveis com a realidade de suas empresas.

A verdade é que este trabalho não pode ser feito às pressas, pois um mau julgamento pode comprometer a empresa. A circunstância ideal é examinar a situação da empresa para escolher o melhor investidor para ajudá-la a atingir seus objetivos.

Com isso em mente, compilamos uma lista dos tipos de investidores mais promissores disponíveis hoje para ajudá-lo a fazer sua escolha. Dê uma olhada!

 

1. Começando do zero – Conheça 8 tipos de investidores em startups:

 

O passo inicial do investimento é o bootstrapping. Nesse caso, o empresário investe seu próprio dinheiro na empresa. Em geral, todos os negócios começam dessa maneira até conseguirem obter maior capital.

 

Isso implica que esse modo não tem nada a ver com “obter investimento”, mas vale a pena mencionar, pois toda empresa começa assim, com o proprietário colocando dinheiro de lado para manter seu negócio funcionando até atingir a maturidade, o que pode levar de seis meses a um ano. Após esse tempo, você precisará obter um bilhete maior.

 

 

2. Investidor Anjo 

 

Um investidor anjo é uma pessoa que tem o conhecimento e as finanças para investir em negócios com potencial de sucesso.

 

Normalmente, eles formam grupos de indivíduos talentosos para procurar startups em suas categorias de negócios específicas. Os investimentos são feitos em troca de uma participação nos lucros entre 5% e 15% dos lucros. As quantidades de injeção variam entre R$ 50.000 a R$ 700.000.

 

Esta é uma das variedades mais populares e desejadas atualmente. Para obter um investidor anjo para investir em sua empresa, você deve fornecer o seguinte:

 

  • Uma proposta para um novo negócio;
  • Um discurso de vendas (se aplicável);
  • Uma estratégia de negócios;
  • Uma previsão financeira que leva em conta aplicações, investimentos, lucros, custos e aquisição de clientes;
  • A caça de investidores que estão interessados ​​em sua indústria.

 

Os investidores-anjo são mais propensos a escolher empresas criativas que faturam menos de R$ 1 milhão por ano e têm potencial de mercado.

 

3. Aceleradores – Conheça 8 tipos de investidores em startups:

 

Aceleradores são empresas que investem em startups que permitem crescimento ágil por meio de escalabilidade e aquisição de participação de mercado. Essas organizações prestam, além do financiamento, os seguintes serviços:

 

  • Auxiliar na aquisição de consumidores;
  • Auxílio na modelagem financeira;
  • Mentoria;
  • Proximidade com outras instituições para colaborações importantes;
  • Para crescimento e expansão, você precisará de uma rede de relacionamentos.

 

Os planos de aceleração só são permitidos para empresas com pelo menos um ano de idade. Para tornar valioso o investimento e a assistência oferecidos pelos aceleradores, eles devem ser altamente práticos. As colaborações de aceleração diferem dependendo do setor. Em geral, representam entre 5% e 30% das ações da empresa.

 

4. Fundos iniciais – Conheça 8 tipos de investidores em startups:

 

As startups podem obter financiamento de capital semente em qualquer ponto de seu desenvolvimento, desde que sejam promissoras e/ou inovadoras. Além disso, por serem formados por empreendedores que aplicam o dinheiro de forma conjunta, diminuindo o risco individual e contribuindo mais para a arrecadação, os valores injetados podem ser superiores aos dos investidores-anjo.

 

Os capitalistas de sementes, como os investidores-anjo, valorizam o lucro vinculado ao desenvolvimento de negócios, desde que a empresa esteja progredindo rapidamente. As contribuições variam de R$ 300 mil a R$ 2 milhões.

5. Incubação de novos negócios

 

As incubadoras seguem uma estratégia de investimento tradicional, que inclui modelagem básica de projetos, assistência com habilidades de apresentação, acesso a conhecimentos estratégicos e provisão de recursos, entre outras coisas. Também é uma boa ideia para empresas que estão tentando crescer.

 

  • Pelas seguintes razões, eles são bons para empresas em seus estágios iniciais:
  • Ddar espaço (infraestrutura) para o crescimento das empresas incubadas;
  • Auxiliar na redução das despesas operacionais;
  • Realizam investimentos em decorrência de notificações de financiamento público;
  • Ênfase na expansão, consolidação e inovação dos negócios.

 

As incubadoras também ajudam empresas não escaláveis, o que é um elemento importante a ser considerado. Como resultado, eles podem ser incubados mesmo que não tenham potencial de desenvolvimento imediato e precisem de tempo para escalar.

 

Como os recursos governamentais estão envolvidos no projeto, essa variante tem um sistema de avaliação mais burocrático, como um plano de negócios completo (de ponta a ponta), do que outros tipos de investidores. A maioria das incubadoras é filiada a órgãos governamentais e universidades federais.

6. Capital Empresarial

 

Para obter financiamento de Venture Capital, uma empresa deve já ter uma solução em funcionamento, além de uma sólida carteira de clientes, para demonstrar que é uma startup escalável em termos de investimentos financeiros e de mercado.

 

Em geral, a doação é feita para ajudar uma marca em desenvolvimento a aprimorar seus produtos/serviços e expandir mais rapidamente. Destina-se a pequenas e médias empresas.

 

O capital pode ser injetado de várias maneiras, como por meio de direitos de participação ou compra de ações. No entanto, é importante notar que este é mais do que um financiamento básico, pois o investidor se tornará sócio da empresa e compartilhará a gestão com o proprietário.

 

 

7. Criando um Negócio

 

Este modo é uma combinação de aceleradoras, incubadoras e capital de risco. Permite a efetiva implementação do plano estratégico global, bem como a captação de pessoas e recursos financeiros e da estrutura física.

 

O objetivo de um Venture Builder é construir uma empresa em potencial, não apenas uma determinada mercadoria. Seu investimento em uma empresa é maciço, com os primeiros aportes totalizando 80%.

 

 

8. O crowdfunding

 

É uma espécie de “crowdfunding online” semelhante ao crowdsourcing tradicional. Começou como um meio de arrecadar dinheiro para necessidades sociais, como indivíduos que precisam de intervenção cirúrgica ou cuidados médicos.

 

Com a consolidação desse sistema, ele também poderá ser utilizado para captar recursos de investidores para financiar iniciativas em diversos campos, portes e segmentos. Como resultado, surgiram dois novos tipos de coleção:

 

  • crowdfunding de dívida: funciona de forma semelhante a um empréstimo em que o valor concedido é pago em um determinado período de tempo, acrescido de juros;
  • Quando os investidores doam para alavancar empreendedores a fim de apoiar seu desenvolvimento, isso é conhecido como equity crowdfunding;
  • Esta é uma escolha fantástica para obter investimentos se a sua empresa ambiciona um retorno que beneficie a sociedade e/ou o ambiente, bem como um nicho de mercado especializado.

 

 

Neste material, você encontrou uma variedade de investidores. Para tomar a melhor decisão, é preciso identificar e estudar as qualidades de cada um. Sua startup poderá operar e crescer em função do apoio e investimento que receber.

 

Confira mais matérias como essa e visite nosso blog:

Você Pode Gostar

Sobre o Autor: Avitrini